ABRIMOS NOS DOMINGOS 15 e 22 DEZ.

Aberto de 2ª a Sábado
das 10h às 14h e das 15h30 às 19h30
abrimos à noite para as sessões agendadas

AGENDA

29/03/09

Novidades editoriais mas não só...

Embora seleccionadas, chegam muitas diariamente à Livraria do Pátio de Letras... poesia, ficção, ensaio.
Venha descobri-las, bem como aos nossos livros de fundo de catálogo, com excelentes descontos (mas cumprindo a lei do preço fixo do livro).

Destacamos:

À Descobertda das Causas No Sortilégio dos Efeitos - do algarvio Manuel Madeira (a quem é integralmente dedicado o S - suplemento mensal de Artes do jornal Postal do Algarve do dia 26 de Março) - Ed. Labirinto

Olhão, a força das marés - de José Honrado Miranda, Ed. Labirinto

Da editora Labirinto destacamos ainda Rosa Intacta, de António Ramos Rosa e o livro-homengam a este reconhecido autor algarvio, Um Poema para Ramos Rosa (vários autores)

E de volta ao Pátio, com outros livros sobre a mesma jóia algarvia: Cacela, terra do Levante, de Cristina Garcia, Ed. CMVRSA

Próximos eventos no Pátio de Letras

Sexta-feira dia 3, 21h30

«António Vicente Campinas: linhas de fronteira», por José Carlos Barros

Conferência integrada no Ciclo «Viajantes, Escritores, Poetas - Retratos do Algarve» - org. UALG/CIIPC/CMVRSA; colaboração: Pátio de Letras

(António Vicente Campinas é um poeta e prosador português algarvio. Começou a editar poesia em 1938, com o livro «Aguarelas». Entre as suas obras poéticas conta-se o livro Raiz da Serenidade. Em 1952 publica o seu primeiro romance «Fronteiriços», dedicado aos contrabandistas. Publicou ainda livros de contos. Especialmente famoso é o seu poema "Cantar Alentejano", em honra de Catarina Eufémia, musicado por José Afonso, no álbum "Cantigas de Maio" editado no Natal de 1971 - fonte: Wikipedia)

Sábado 4 (org. Patio@Bar)

22h00




«InTentoTrio»
- Pedro Reis (baixo), João Melro (bateria), Fernando Pessanha (piano)

«VJ_Zayle e Poesia» - Projecção de Poemas inspirados na obra dos WordSongs e da escritora Maria do Dromedário - autoria: Elisabete Ribeiro

24h00


TEATRO:

«Faz de Conto: Contos Eróticos Medievais»,
uma produção te-Atrito e ARC Músicos


Até 20 de Abril : Exposição de poetisa e fotografia italiana Antonia Pozzi

No Espaço de Memória: exposição A Guerra Secreta em Portugal (1939-1945)
autoria: José António Barreiros

Toda a programação de Abril aqui.

Hoje, 17h, no Pátio de Letras



28/03/09

"Notícias dio Império", pelo Pedro

«Aconteceu entre 13 e 15 de Março, em Birkbeck, Inglaterra. Um ciclio de conferências com o tema "on the idea of communism". Contou com a participação de Alan Badiou, Slavoj Zizek, Michel Hardt e Toni Negri, entre outros (estes que refiro são apenas aqueles de quem eu conheço alguns escritos).

AQUI e AQUI estão alguns apontamentos sobre o que lá se disse. A partir destes links chega-se a outras visões acerca do evento.

Vale a pena, mas não se iludam com expectativas de "soluções", isto é malta teórica e que, creio, faz questão em não abandonar o pensamento. Aliás, sem estes nomes, onde estaria hoje a crítica? O que seria das acções que se possam ter, sem que haja novas ferramentas para poder pensá-las, antes e depois de acontecerem? »

escrito pelo Pedro, a 26 de Março, aqui.

Hoje, às 17h00


(clicar na imagem para aumentar)


saber mais aqui

Imagens do Pátio (1)

foto: Elisa Ribeiro, 2009

(clicar na imagem para aumentar)

Para mais tarde recordar


Fotografias da conferência sobre A LITERATURA ORAL NO ALGARVE
(21 de Março 2009)

Video da apresentação do livro PRIVADO e debate
(20 de Março 2009)

Fotografias da apresentação/debate sobre o livro
VOOS da CIA
(14/3/09)

Video da apresentação do livro OS ANIMAIS DA CABEÇA
(6 de Março 2009)

Videos da apresentação do livro OS DIAS DO AMOR
(14 de Fevereiro 2009)
video 1 - video 2 - video 3 - video 4

Fotografias da inauguração da exposição:
Tapeçaria comtemporânea e... diálogos metafísicos
de CIDÁLIA de BRITO


(ver imagens de outras eventos no Pátio de Letras na barra lateral - em actualização)

27/03/09

26/03/09

A campanha para a CMF no Pátio de Letras

Na semana passada enviámos, aos candidatos já conhecidos à futura presidência da CMF, uma carta-convite que divulgamos abaixo e que mereceu já a adesão do Eng. Macário Correia, tendo ficado agendado para a sessão de esclarecimento debate sobre o programa da candidatura no que concerne ao "seu pensamento e projectos para o enriquecimento e dinamização da vida e do património cultural do concelho", o dia 15 de Maio, 6ª f, ás 21h30.

Aguardamos que o Dr. José Apolinário e o Dr. José Vitorino adiram também à nossa proposta.
Como se refere na carta, idêntico "convite será estendido a todas as candidaturas, sem discriminação", assim sejam elas conhecidas.

texto da carta-convite:

Somos o Mundo em Gavetas Lda.

Criámos um espaço cultural, em Faro, a que chamámos Espaço de Memória - Pátio de Letras, cuja génese é a evidência da mobilização da iniciativa de particulares em prol do concelho.

Contando com áreas de exposição e com uma livraria - cuja frequência atesta o reconhecimento da qualidade da selecção de livros que a mesma oferece – temos aqui realizado apresentações de livros e palestras sobre temas variados de natureza cultural.

Tais iniciativas proporcionaram que um conjunto de pessoas ligadas à cidade e à cultura encontrassem aqui um espaço de tertúlia e debate, que pretendem aprofundar e dinamizar, para o que estão em processo de constituição de uma Associação Cultural - Pátio de Letras. O seu objectivo é contribuir para a preservação da memória e do património cultural da cidade, bem como para uma maior desenvolvimento do conhecimento e da capacidade de pensamento crítico, que têm por vital para o aprofundamento da cidadania e, consequentemente, da democracia.

A qualidade e diversidade das actividades já realizadas ao longo dos 8 meses da sua existência e o público que a elas ocorreu, bem como as muitas já planeadas até Julho, são um testemunho de que tem valido a pena o esforço (ver em: http://espacodememoria-patiodeletras.blogspot.com)

Sabemos que Vexa formalizou já uma candidatura às eleições para a Câmara Municipal de Faro. Cremos que concordará ser do maior interesse que o seu pensamento e projectos para o enriquecimento e dinamização da vida e do património cultural do concelho sejam conhecidos pelos farenses que estão mobilizados pela causa da valorização do município.

Permitimo-nos assim julgar que o espaço que criámos pode funcionar, pois que central e simbólico de debate e encontro de várias sensibilidades de pensamento, como local adequado para que tal possa ocorrer através de uma sessão que propicie o diálogo e o esclarecimento.

Endereçamos-lhe assim convite para que dele disponha para o efeito, bastando para tanto acertar datas connosco.

Este convite será estendido a todas as candidaturas, sem discriminação.

Assinado: Liliana Mendonça André T. Palhinha e José António Barreiros
.

ABRIL no Pátio de Letras

A programação já está disponível - é só ir á barra lateral direita e clicar na imagem respectiva.

25/03/09

última hora: a 26 Trio Tuniko Goulart

A sessão prevista para a noite da próxima 5ª feira, 26 de Março , com os acordeonistas João Frade e Nélson Conceição teve que ser adiada e vai ser substituída pelos guitarristas do

Trio Tuniko Goulart

org. Patio@Bar

mais informação em www.myspace.com/tunikogoulart


23/03/09

Editados em Março, já no Pátio de Letras

Dom Casmurro, de Machado de Assis

A vingança de Marcolina ou o último duelo de Casanova, de José Sasportes

Evocação - a minha vida com Che, de Aleida March

Benazir Bhutto - A filha do destino, de Benazir Bhutto


Outros títulos editados este mês e já disponíveis no Pátio:

Poemas, de Herman Melville
A Evolução para Todos, de David Sloan Wilson
A Espécie das Origens, de António Amorim
Nómada, de Stephenie Meyer
Maigret & o Negociante de Vinhos, de Georges Simenon
Rebecca, de Daphne du Maurier
A Outra Invasão do Iraque, de Paulo Casaca
Inteligência Moral, de Doug Lennik e Fred Kiel
Que se lixe, de John C. Parkin
Toda a Matemática que Precisa Saber, de Steve Slavin
Segredos e Corrupção, de António José Vilela
London Fields, de Martin Amis
O Sétimo Véu, de Juan Manuel de Prada
Mulheres Aventureiras, de Rosário Sá Coutinho
Walden ou a Vida nos Bosques, de Henry David Thoreau
O Último Bandeirante, de Pedro Pinto
O Amor Infinito de Pedro e Inês, de Luis Rosa
O Tao da Física, de Fritjof Capra

...entre outros

O Futurismo em Faro - Dom. 29/3, 17h00



22/03/09

Inauguração - sáb. 28 Março, 17h00, no Pátio de Letras

Nelle Imagine l'Anima - nas imagens a alma

clicar na imagem para aumentar

Antonia Pozzi, uma das vozes femininas mais intensas da poesia italiana do século passado, deixou um significativo legado fotográfico que só muito recentemente começou a ter visibilidade e que se pode considerar um documento histórico e antropológico da Itália do Norte.


A uma distância de setenta anos da sua morte, comemorados num convénio realizado em Novembro de 2008 na Università Statale di Milano, revela-se aquela que foi uma segunda alma de Antonia Pozzi.

É a primeira vez que esta intelectual milanesa, tão apreciada por poetas e escritores como Montale e Pasolini, se apresenta em Portugal.

Por ocasião da inauguração da exposição, no Pátio de Letras, em Faro, sábado 28 de Março pelas 17.00 horas, a comissária da exposição e primeira investigadora do fundo fotográfico do Arquivo Pozzi de Pasturo, Ludovica Pellegatta, fará uma apresentação (com tradução simultânea em português) acompanhada do lançamento da antologia fotográfica “Nelle immagini l’anima” editado com Onorina Dino, coordenadora do Arquivo Pozzi, pela Editora Ancora.


Ludovica Pellegatta e Filippo Bianchi são os commissários da exposição que ficará patente ao público até ao dia 20 de Abril de 2009.

Para mais informações contactar:

Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da UALG -Departamento de Línguas, Comunicação e Artes -Drª Angela Gallus Tel. 289 800 900E-mail: agallus@ualg.pt

Pátio de Letras - contactos na lateral direita do blog (veja também na lateral direita do blog a demais programação de Março).


Para mais informações sobre Antonia Pozzi:
http://www.antoniapozzi.it/

O novo livro de Fernando Esteves Pinto

por Miguel Godinho

PVP: 12 €


Texto da presentação feita por Miguel Godinho, poeta, da novela “Privado”
o novo livro de Fernando Esteves Pinto


Faro, Pátio de Letras, 20 de Março, 2009

«Devo dizer que a sensação que me fica sempre após a leitura de um texto ou de um livro do Fernando é que a escrita lhe serve antes de mais de terapia (ou de psicoterapia), na medida em que trata sempre questões / problemas extremamente humanos, problemas reais, relacionados com as perturbações ou as dificuldades com que todos nos deparamos pelo simples facto de estarmos vivos e nos inter-relacionarmos uns com os outros.» (ler todo o texto aqui)


21/03/09

POESIA

Alguém instituiu o dia de hoje com o o Dia da Poesia.

O Pedro, nosso colaborador, não simpatiza mesmo nada com este tipo de "instituições" ... Resolvi pregar-lhe uma partida: colocar aqui, hoje, o último poema que deixou no seu blog, e de que gostei muito. Sei que ele não vai levar a mal :)


quanto tempo demorará um bicho
a esquecer a cerca que o detém?
deve ser rápido, não?

o fim da correria, da inconstância
todos os dias iguais
como uma chuva fotografada
de uma manhã de fim de inverno

quase que acredito que há uma célula
na cabeça de quase todos
os animais à espera
que se multiplica velocíssima
um mercúrio que se parte
no pensamento e ensina
a monotonia aos recônditos
cantos de fera

quantos dias enfrentará um bicho
a ilusão do frigorífico
dos frutos tropicais de inverno?
quanto tempo leva até que faça
efeito o soporífero geral
e se amoche o animal
no colchão estendido sobre a vida?

quanto tempo até que
se lhe apague o riso
não por falta de graça e abundância
mas só e apenas porque se foram
as cócegas do chão?

Quer surpreender alguém querido?

envie uma carta!


Se já se esqueceu como se faz, vá ao Pátio de Letras
(só não fornecemos o selo...)

saiba mais aqui.



A literatura oral no Algarve - hoje no Pátio, 17h

clicar na imagem para aumentar

MAPA/ACESSOS - ver aqui

Certamente vale a pena ir ver

Até 27 Março (6ª f)

De segunda a sexta das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.

Exposição “O que é o Teatro?” apadrinhada pelo actor/encenador, Luís Vicente da Acta - A Companhia de Teatro do Algarve

Pechão - Junta de Freguesia de Pechão (Rua Francisco Guerreiro, Pechão, 8700 Olhão, Tel.: 289 710 640, Email: geral@jf-pechao.pt)

20/03/09

Poesia no feminino na Biblioteca Municipal de Loulé

Quer pena não ter eu o dom da ubiquidade... gostaria muito de poder ir a esta prometedora sessão... mas à mesma hora é a apresentação, pelo poeta Miguel Godinho, do novo livro do escritor Fernando Esteves Pinto no Pátio de Letras, a não perder, claro !


A poesia escrita por mulheres vai estar em destaque na Biblioteca Municipal de Loulé, no próximo dia 20 de Março, num recital que pretende comemorar o Dia Mundial da Poesia (21 de Março) e integrado no Dia Internacional da Mulher, assinalado no passado domingo.

A iniciativa conta com palavras e música por Afonso Dias e Tânia Silva e tem em vista fazer uma homenagem à “poesia mulher”, nomeadamente às mulheres poetisas de todos os quadrantes da lusofonia, tais como, entre outras, Irene Lisboa, Florbela Espanca, Sophia de Mello Breyner Andresen, Salette Tavares, Natália Correia, M. Teresa Horta, Fiama, Adília Lopes e Teresa Rita Lopes.

O recital tem entrada livre e começa pelas 21:30 horas.

16/03/09

Joaquim Furtado - O regresso “d’A Guerra”

«Nunca na televisão portuguesa se terá feito algo assim. Passaram nove horas em prime time, hoje começam a passar mais 11, e ainda falta um terço. É História sem deixar de ser jornalismo, e ainda é política, porque muitos protagonistas estão vivos. As revelações vão de Mao Tsé Tung a Che Guevara, passando pela recruta de guerrilheiros à força ou pelas transacções com a UNITA. E o uso de napalm deixou de ser um tabu.»
por Alexandra Lucas Coelho
.
O MPLA pede a Che Guevara um instrutor que seja "negrito", Guevara promete mandar um "bom negrito", esse bom negrito "transformou-se em seis". Na FNLA, Jonas Savimbi sai em ruptura com o líder Holden Roberto. E os colonos portugueses entram em choque com os soldados. Três momentos da frente angolana no episódio de A Guerra que marca o regresso da série de Joaquim Furtado...
.
Leia todo o artigo aqui
.
A 1ª Série completa, em 9 DVDs, ainda disponível no Pátio de Letras

Vol. I - Angola, dias de morte
Vol. II - Andar rápido e em força
Vol. III - Massacres contra chacinas
Vol. IV - Operação Nambuangongo
Vol. V - As colónias e as províncias
Vol. VI - As guerras antes da guerra
Vol. VII - O ano que marca a História
Vol. VIII - A Guiné, depois de Angola
Vol. IX - Moçambique, nova frente
.
Caixa com os 9 Volumes - 62,50€

Vida e Obra de Raul Brandão


Nasceu em 1867 na Foz do Douro, e dedicou-se desde muito novo ao jornalismo, que lhe proporcionou um posto de observação da actualidade política e social, bases das suas reflexões filosóficas sobre as questões morais palpitantes. No recolhimento campestre da sua Casa do Alto, perto de Guimarães, povoado de gratas reminiscências da infância e de saudades dos mortos queridos, alternou os períodos febris de composição literária com as sedativas ocupações de pequeno proprietário agrícola.

Estreou-se com "Impressões e Paisagens" (1890), uma colectânea de contos naturalistas. Colaborou depois na composição do folheto "Nefelibatas" (1893), e publicou no Correio da Manhã (1895 e 1896) reportagens impressionistas sobre os vícios e misérias da capital, e ensaios de crítica literária, em que propõe um conceito original de teatro, que "deveria debater um grande problema social ou psicológico", e interessar o público com "peças sintéticas" que fossem "populares e humanas". Realiza mais tarde este programa com peças como "O Gebo e a Sombra", "O Rei Imaginário", "O doido e a morte" (Teatro, 1923), e "O Avejão" (1929).

As obras mais importantes da sua fase de maturidade foram: "Os Pobres" (1906), "A Farsa" (s.d.), "Húmus" (1917), "O Pobre de pedir" (1931), obras em que o literato cede lugar ao "velho filosófico", absorvido pela meditação sobre a condição humana. O seu estilo, essencialmente poético, é caracterizado pela ingenuidade sensorial e por uma sintaxe sem estruturação gramatical rigorosa, mas fremente de ritmos vitais significativos. Raul Brandão morre em Lisboa, em 1930.

Obras de Raul Brandão disponíveis no Pátio de Letras:

"Algarve" [4.95€]

"História dum Palhaço - A Morte do Palhaço" - Obras completas, Vol. III [18€]

"A Farsa" - Obras Completas, Vol. IV [10€]


15/03/09

Café Oceano de novo no Pátio de Letras

5ª f dia 19 de Março, 18:30


«Qual o papel que o Oceano tem na cultura algarvia?» é a questão a que José Carlos Gonçalves Viana se propõe a responder, durante duas horas de conversa informal no Pátio das Letras.

Actual director da Sociedade de Geografia de Lisboa, ex-secretário de Estado da Marinha Mercante e ex-secretário de Estado das Pescas é o convidado da próxima edição do Café Oceano, marcada para dia 19 de Março, a partir das 18:30 horas, em Faro.

Nascido em Lisboa em 1932, José Carlos Gonçalves Viana tem um percurso profissional intimamente ligado às questões do mar. Em 1958 José Carlos Gonçalves Viana obteve o grau de licenciado como Engenheiro Mecânico Aeronáutico, pelo Instituto Superior Técnico.

fonte: imagem blog Café Oceano, texto Região Sul on line

14/03/09

Mensagem da eurodeputada ANA GOMES

Recebemos da eurodeputada Ana Gomes, para ser lido na abertura da sessão de hoje, sábado 14, no Pátio de Letras:


De: GOMES Ana Maria
Enviada: sábado, 14 de Março de 2009 15:24
Para: omundoemgavetas@gmail.com
Assunto: Mensagem para assistência


Minhas caras Amigas e Amigos,


Pai é como Mãe: só temos um. E o meu morreu esta semana, apesar de aparentar estar cheio de saúde. Morreu inesperadamente. Morreu como viveu nos últimos anos: sem dar trabalho a ninguém.

Compreenderão, assim, que vos apresente as minhas desculpas por não poder estar aí convosco hoje. Não estou ainda refeita - se algum dia nos refazemos destas duras partidas que a vida nos prega - e não tenho por isso ânimo para animar debates sobre nenhum tema.

Nem mesmo sobre a experiência de terreno que procurei transmitir nos textos compilados no livro diante de vós, e a que dei significativamente o mesmo título "Todo o terreno". O livro inclui boa parte dos artigos que fui escrevendo e publicando ao longo de quatro anos de trabalho como deputada socialista portuguesa no Parlamento Europeu. Escrevo sobre muitos temas em que me empenhei no PE e sobre os quais continuarei a empenhar-me onde quer que esteja. Reflectir, tomar posição e escrever sobre esses diversos assuntos da vida nacional e internacional não resultou apenas da necessidade de exercer a tripla cidadania portuguesa, europeia e global que reivindico: teve origem, também, no sentido do dever de prestar contas aos portugueses que me elegeram.

Como poderão verificar, não escrevo muito no livro - introduzo, num único artigo, o tema dos chamados "voos da CIA". Ao contrário do que alguns pretendem, não vivo obcecada pelo assunto. Sobre essa matéria guardo-me para o final da investigação judicial em curso, em novo livro que já comecei a escrever.

O programa de subcontratação da tortura que está por detrás dos chamados "voos da CIA" não é tema divertido, mas é preciso falar e escrever sobre ele, porque o que está em causa é demasiado sério para calarmos:os direitos humanos, a eficácia da luta contra o terrorismo, a democracia e os "armados em democratas" que nos dão cabo do Estado de direito que tanto nos custou a conquistar e ainda nos custa a construir e defender....

Decerto que a presença aí, convosco, do meu editor e Amigo Rui Costa Pinto - que enquanto profissional do jornalismo se interessou a fundo pelo assunto e por isso pagou um alto preço - oferecerá o ensejo de esclarecer muitas questões que entendam colocar.

Eu, para já, só posso prometer que não faltarei ao encontro de todas e todos vós, nesse mesmo espaço, para discutir esse ou outro tema de interesse, mal os meus queridos Amigos Liliana e José António me proponham novo desafio e novas datas. Para eles, em especial, pelas saborosas lembranças dos nossos velhos tempos, pelo seu convite e pela sua benevolência em compreender a minha incapacidade de afinal lhe corresponder, vão os meus mais afectuosos agradecimentos.

Ana Gomes

12/03/09

sábado 14, 17:00: a não peder

uma tarde, dois livros três convidados:

RUI COSTA PINTO, JORGE FERREIRA, ANA GOMES

clicar na imagem para aumentar

José Carlos Fernandes, algarvio, autor de banda desenhada

José Carlos Fernandes nasceu em Loulé, em 1964. Devorava tantos livros em criança que, certa vez, até foi castigado por tanto ir à biblioteca. Tem um curso de engenharia do ambiente, que não serve de muito quando a verdadeira vocação é a banda desenhada.


Começou a desenhar tarde, mas isso não impediu que se tornasse num dos mais profícuos autores portugueses. Apenas foi preciso abandonar a carreira no Parque Natural da Ria Formosa, para se dedicar inteiramente aos lápis e às pranchas. O ambiente normal das suas curtas-metragens aos quadradinhos é um universo sépia, com semelhanças ao imaginário da América dos anos 50. Da inépcia musical de “A pior banda do Mundo”, ao drama de anjos caídos que buscam asas junto de aviões que já não voam, tudo pode acontecer. Recentemente dedica-se ao projecto “Blackbox Stories” – criando argumentos para serem ilustrados por outros desenhadores.



Entrevista:

Desenha desde sempre?

Não.  É  uma  história  muito esquisita  e  muito  invulgar.  Quando  era  miúdo  desenhava.  Mas  não  particularmente  bem.  Nunca  fui  orientado,  nem  tive auto-disciplina para  o  fazer,  nem  nunca  frequentei  nenhum  curso  virado  para  a  arte.  E  depois  isso  apagou-se.  Um  dia,  sem  razão  nenhuma,  resolvi  que  devia  voltar  a  desenhar.  Comecei  de  um  ponto  de  partida  muito  baixo,  a  trabalhar  de  uma  forma  sistemática.  E fi z progressos.  Um  dia  fui  convidado  para  participar numa  fanzine  de  banda desenhada.  A  história  estava  mal  desenhada,  mas  o  que  me  agradou  foi  que  em  termos  de  narrativa  funcionava.  


...para continuar a ler a entrevista clique nas imagens...






"in viva algarve 77, por Bruno Filipe Pires"


Livros do Autor disponíveis no Pátio de Letras:


"O que está escrito nas estrelas"


Colecção "A Pior Banda do Mundo"



Volume I - "O Quiosque da Utopia"

Volume IV - "A Grande Enciclopédia do Conhecimento Obsoleto"

Volume V - "O Depósito de Refugos Postais"

Volume VI - "Os Arquivos do Prodigioso e do Paranormal"

"A Metrópole Feérica"


"Tratado de Umbrografia"


Outros títulos de José Carlos Fernandes disponíveis no Pátio de Letras:


"A última obra-prima de Aaron Slobodj"



"As Aventuras do Barão Wrangel"



"Um Catálogo de Sonhos"



Outras Bandas Desenhadas de autores internacionais em destaque:


"Freaks - No Coração da América"


"V for Vendetta"


"Transubstanciação"

11/03/09

"Os animais da Cabeça", de Rui Dias Simão

In Barlavento on line, 11 Março

A apresentação pública do livro «Os animais da cabeça», do poeta algarvio Rui Dias Simão, decorreu em Faro, no Pátio das Letras, na passada sexta-feira.

A apresentação do livro, composto por 21 poemas para 21 desenhos, coube a Fernando Esteves Pinto, representante da 4 Águas Editora / Edições Cativa, que chancelou a obra.

A análise da poesia de Rui Dias Simão esteve a cargo de um outro poeta, José Carlos Barros, que prefaciou a obra.

Perante uma sala repleta, José Carlos Barros referiu que conhece mal o homem, por detrás do poeta, mas que não pôde ficar indiferente aos seus escritos.

No prefácio da obra, diz José Carlos Barros: «Eis, pois, uma poesia rara, cheia de força, que reverte das margens e da inquietação, da procura do entendimento, da ironia, do humor, da desmontagem das máquinas quotidianas que nos dão por adquiridas; poesia, finalmente, que reverte do sobressalto. Porque «Os Animais da Cabeça» são os que não descansam, os que não dormem ou dormem com os olhos abertos e as íris incendiadas, que se retiram dos lugares do silêncio, que se recusam a clarear as penumbras - e «mesmo à noite não amansam».

O actor Vítor Correia, não deixando de aludir à grande amizade que o liga ao autor e à admiração profunda pelo seu trabalho, leu uma mão cheia de poemas, colorindo ainda mais a noite poética.

Rui Dias Simão é natural do Algarve e reside na Conceição de Tavira. Realizou os estudos secundários em Tavira e frequentou o Curso de Línguas e Literaturas Modernas na Universidade dos Açores, em Ponta Delgada.

Apaixonado pela pintura, pela leitura, pela escrita e pela natureza, entrega-se de corpo e alma às suas paixões: lê, escreve e pinta, não dispensando um passeio pela Ria Formosa, no seu pequeno barco, hipantropias – que daria o nome ao seu primeiro livro, editado em 2007.

Na ocasião, Rui Dias Simão prometeu continuar a trabalhar para fazer mais e ainda melhor.»

***
Preço; 7 €

09/03/09

Os encantos de Cacela no Pátio de Letras


Cacela, terra de levante
, de Cristina Garcia

Uma edição da Câmara Municipal de Vila Real de Sto António

aditamentos à Programação de Março

Desde que a publicitámos, na lateral do blog, a programação de Março teve alguns aditamentos, fruto de propostas que nos foram feitas por frequentadores do Pátio de Letras.

As actualizações já foram efectuadas mas deixamos aqui também toda a programação (à excepção do que já decorreu em data anterior a hoje) assinalando a AZUL o que foi aditado.


quinta-feira, 12 de Março, 17:00

tarde existencialista:
Introdução ao Modelo ACD- Amor/Conhecimento/Divertimento

apresentação por Morcego Sorumbático

sábado 14 de Março, 17:00

UMA TARDE, DOIS LIVROS, TRÊS CONVIDADOS - “Voos secretos da Cia” e “Todo-o terreno”, com Ana Gomes, Rui Costa Pinto e Jorge Ferreira

Quinta feira, 19, 18:00

tertúlia CAFÉ OCEANO, sob o tema "Como considerar o Oceano na cultura Algarvia?"
apresentação por José Carlos Gonçalves Viana (Sociedade de Geografia de Lisboa)


sexta feira, 20 de Março, 21:30

Miguel Godinho apresenta PRIVADO, o novo livro de contos de Fernando Esteves Pinto

sábado 21 de Março, 17:00

A LITERATURA NO ALGARVE, por José Joaquim Dias Marques

Conferência integrada no Ciclo “Viajantes, Escritores e Poetas - Retratos do Algarve”, organizado pela UALG e CMVRA

quinta feira 26 de Março, 22:00

João Frade e Nélson Conceição - acordeonistas em dueto

sexta, 27 de Março, 22:00

Quarteto Fusão_Patio@Bar

Merlo (bateria) MiguelMartins (guitarra) RenatoMadeira (contrabaixo) JoãoCuña (guitarra portuguesa)

sábado, 28 de Março, 17:00

NELLE IMAGINI L’ANIMA - poesia e fotografia de ANTÓNIA POZZI
apresentação da exposição e do livro por Ludovica Pellegatta
leitura de poemas e música ao vivo

(tradução em simultâneo; co-organização: Instituto Italiano de Cultura e UALG)

Domingo 29 de Março, 17h00

NO ANIVERSÁRIO DE CARLOS PORFÍRIO:
O FUTURISMO EM FARO - apresentação pelo Arq. Vítor Cantinho

imagem, dança, música e poesia ao vivo


Até 25 de Março no Pátio de Letras:

Cidália de Brito expõe “Tapeçaria contemporânea e… Diálogos metafísicos”


no ESPAÇO DE MEMÓRIA

Exposição: A Guerra Secreta em Portugal (1939-1945)

por José António Barreiros

08/03/09

Os clássicos da Colares Editora no Pátio

Do Vinho e do Haxixe, de Charles Baudelaire, com prefácio de Loy Rolim

O Anjo Bizarro, de Edgar Allan Poe

Os Desastres de Sofia, de Condessa de Ségur, Ilustrado

Contos para a Infância, de Guerra Junqueiro


Também pode encontrar na nossa livraria a Colecção Livro Carta da Colares. Pequenos clássicos com ilustrações à altura, leves e que cabem num envelope de tamanho padrão. Com envelope e marcador já incluídos, pode surpreender alguém querido que se encontre distante por apenas 4,45€ (só não inclui o selo).

Livro Carta Amar um Cão, de Maria Gabriela Llansol


Outros títulos disponíveis no formato Livro Carta:

O Rouxinol e a Rosa, de Oscar Wilde
O Sol Minguante, de Gustave Flaubert
Retrato Próprio, de Bocage
Lisboa Revisitada, de Fernando Pessoa
Auto da Alma, de Gil Vicente
Oração ao Pão, de Guerra Junqueiro
Eros, de Platão
O Amigo Dedicado, de Oscar Wilde
Cantiga de Esponsais, de Machado de Assis
A Flor Azul, de Novalis
A Ilha dos Amores, de Luís de Camões
Um Sonho de Beleza, de Antero de Quental

...entre outros, que aguardam o seu olhar...

06/03/09

Mais novidades no Pátio

O Tigre Branco, de Aravind Adiga

Outras Cores, de Orhan Pamuk

Movie Icons - Johnny Depp

Movie Icons - Woody Allen

Os Girassóis Cegos, de Alberto Méndez

O Gato de Uppsala, de Cristina Carvalho

Os Médicis, de Tim Parks